English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 26 de março de 2009

Ter companheiro ou ter companhia. O que prefere ?

Quando falamos em casamento para a vida parece muito fácil. Principalmente quando estamos no altar a fazer juras de amor eterno. Para a saúde e para a doença e blá, blá, blá...
Mas no fundo o que eu penso é que todo ser humano deseja é ter um companheiro ou companheira. Alguém que esteja "efetivamente" ao nosso lado.
Nos bons momentos: em que rimos juntos e temos vontade de nos abraçar, e nos maus momentos: em que só nos dá vontade de chorar e gritar para o mundo e aquele ombro está lá, só pra nós, para tudo.

Mas a maior parte das pessoas, infelizmente, confunde companheiro com companhia e aí começam os problemas.

Nós não queremos uma pessoa que esteja ali deitada ao nosso lado a ver televisão e a pedir-nos para falar mais baixo porque está ouvindo qualquer coisa. Não queremos uma pessoa que vá conosco às compras e nos diga a toda a hora para nos apressarmos quando não têm mais nada para fazer. Nem queremos que prefiram sempre fazer outra coisa qualquer e nos deixar entregue aos nossos desejos e preocupações que deveriam ser de ambos.

Isso até pode acontecer de vez em quando e até é saudável, pois cada um tem seu ritmo e temperamento, mas só se for de mútuo acordo, não de apenas uma das partes.

O que se espera quando se idealiza um amor para a vida inteira é que ele ou ela, olhe para nós de fato e que absorva nossa essência, que esteja ao nosso lado e que nos faça sentir que vai ali estar para sempre, venha o que vier, seja sol, chuva ou tempestade.

Queremos alguém que pense nas nossas necessidades, nos nossos desejos, pois é isso o que desejamos e com a mais alta taxa de reciprocidade.

Ser um casal, não é viver cada um por si. Pois se assim for, teremos uma companhia e não um companheiro. Lembro-me de um discurso que ouvi sobre o tema e em suma o orador dizia que nunca temos o que merecemos, mas o que escolhemos, e isso no quesito casamento.
Sendo assim, nos resta a adequação ao outro, juntamente com o amor baseado em princípios que só Jeová nos dá. Pois um tríplice cordão não pode ser facilmente rompido em dois!

Nenhum comentário: