English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Adversidades ... como lida com elas?

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir. Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido um outro surgia. Seu pai, um "chef", levou-a até a cozinha dele. 

Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Logo as panelas começaram a ferver. Numa ele colocou cenouras, noutra colocou ovos e, na última, pó de café. 

Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra. A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo.

Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás. Descascou as cenouras e colocou-as numa tigela. Retirou os ovos e colocou-os em outra tigela. Então pegou o café com uma concha e colocou-o numa xícara. 

Virando-se para ela, perguntou: Querida, o que você está vendo?- Cenouras, ovos e café - ela respondeu. 

Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras. Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias. Então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse. Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.

Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso. Ela perguntou humildemente: - O que isto significa, pai?

Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, água fervendo, mas que cada um reagira de maneira diferente. A cenoura entrara forte, firme e inflexível. Mas depois de ter sido submetida à água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil. Os ovos eram frágeis. Sua casca fina havia protegido o líquido interior. Mas depois de terem sido colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rijo.

O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora colocado na água fervente, ele havia mudado a água. - Qual deles é você? - ele perguntou à sua filha.

Quando a adversidade bate à sua porta, como você responde? Você é uma cenoura, um ovo ou um pó de café?

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Aos meus amigos!


Para aquelas pessoas que fazem meu coração sorrir...

Para a turminha que sempre esteve junto até mesmo quando eu não estava disposto...

Para a pessoa que eu esperava que me chutasse quando caí, e que foi uma das primeiras que me ajudou a levantar...

Para as pessoas que fizeram a diferença em minha vida...

Para as pessoas que quando olho para trás, sinto muitas saudades...

Para as pessoas que me aconselharam quando me senti sozinho, e me ajudaram a entender que não importa em quantos pedaços meu coração tenha se partido, o mundo não irá parar para que eu o conserte...

Para as pessoas que me deram um força quando eu não estava muito animado.

Para as pessoas que amei...

Para as pessoas que abracei...

Para as pessoas que encontro apenas em meus sonhos...

Para as pessoas que encontro todos os dias e não tenho a chance de dizer tudo o que sinto olhando em seus olhos...


Para mim...O que importa não é O QUE eu tenho na vida, mas QUEM eu tenho na vida...

Por isso...Guardo todas as pessoas importantes da minha vida em uma caixinha delicada: dentro do meu coração...

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Jeová sabe ...

Quando você está cansado e desencorajado por esforços que não deram frutos ... Deus sabe o quanto você tentou.

Quando você chorou por longo tempo, com o coração cheio de angústia ... 
Ele contou suas lágrimas. 

Se você sente que sua vida está perdida e que muito tempo também se perdeu ... 
Ele está confortando você.

Quando você está solitário e seus amigos estão muito ocupados para um simples telefonema ... 
Ele acompanha você.

Quando você sente que já tentou de tudo e não sabe por onde recomeçar ... 
Ele tem a solução.

Quando nada mais faz sentido e você se sente frustrado e deprimido ... 
Ele tenta lhe mostrar respostas.

Se, de repente, tudo lhe parece mais brilhante e você percebe uma luz de esperança ... nesse momento ... 
Ele soprou nos seus ouvidos.

Quando as coisas vão bem e você tem muito para agradecer ... 
Ele está festejando com você.

Quando algo lhe traz muita alegria e você se sente refortalecido ... 
Ele está sorrindo para você.

Quando você tem um propósito a cumprir e um sonho para seguir ... 
Ele abre seus olhos e o chama pelo nome.

Lembre-se de que onde você estiver, seja na tristeza ou na felicidade, mesmo que ninguém mais saiba ... c
om certeza, Jeová sabe!

"Nosso Deus Jeová não escolhe os mais capacitados, mas capacita os escolhidos"

quarta-feira, 23 de julho de 2008

AMOR OU AMIZADE? OS DOIS....


No finalzinho da entrevista que Pedro Bial deu à Marília Gabriela, quando foi questionado sobre relacionamentos, ele deu uma lição que serve para todo mundo: trate seu amor como você trata seu melhor amigo. Sei que isso parece falta de romantismo, mas é o conselho mais certeiro.

Não era você que estava a fim de uma relação serena e plenamente satisfatória? Taí o caminho. Vamos tentar elucidar como isso se dá na prática. Comecemos pelo exemplo que o próprio Bial deu: você foi convidado para o casamento de uma prima distante que mora onde Judas perdeu as botas, você tem que ir porque ela chamou você pra padrinho. Como é que os casais costumam combinar isso?

"Não tem como escapar, você vai comigo e pronto". Ou seja, um põe o outro no programa de índio e nem quer saber de conversa. É assim que você convidaria seu melhor amigo? Não. Você diria: "Puxa, tenho uma roubada pela frente que você não imagina. Me dá uma força, vem comigo, ao menos a gente dá umas risadas...".

Ficou bem mais simpático, não ficou? Como esta, tem milhões de situações chatas que você pode aliviar, apenas moderando o tom das palavras.

Pro seu marido: "Você nunca repara em mim, não deu pra notar que cortei o cabelo? Será que sou invisível?" Mas pra sua melhor amiga: "Ai, pelo visto meu cabelo ficou medonho e você está me poupando, né? Pode dizer a verdade, eu agüento".

Pra sua mulher: "Você já se deu conta da podridão que está este sofá? Não dá pra ver que está na hora de trocar o tecido?" Mas pra sua melhor amiga: "Deixa a pizza por minha conta, eu pago, assim você economiza pra lavar o sofá. A não ser que este seja um novo estilo de decoração..."

Risos + risos+ risos.

Manere! Trate seu amor como todas as pessoas que você ama e que não são seus parentes. Trate com o mesmo humor que você trata seu melhor amigo, sua melhor amiga. Até porque, caso você não tenha percebido, é exatamente isso que sua esposa ou seu marido é.


"Grandes Realizações são possíveis quando se dá importância aos pequenos começos"

terça-feira, 22 de julho de 2008

Para Minha Filha Isabella


Meiga, linda e graciosa;
Às vezes sistemática,desligada e geniosa;
Eis minha filha amada, 
que me faz enfrentar qualquer parada!

Em oração pedi um privilégio;
E Deus me concedeu com seu poder régio;
Uma luz para iluminar ainda mais a minha vida;
Apareceu você, minha filha querida!

Antes de você vir eu já sabia;
Que intensamente a amaria;
De um modo muito intenso fui abençoado;
com teu amor juntinho do lado.

Amo seus sorrisos, caras e bocas;
Seu jeitinho meigo de me chamar: Papai
Amo você com suas virtudes e defeitos;
Amo você de todo jeito, 
até não poder mais!

Ah! Minha linda menina, minha companheirinha ...
Jamais duvide de sua importância em minha vida.
Jamais duvide do tamanho de meu amor por ti.
Jamais pense que não é especial.

Hoje sou realizado plenamente;
pois dentre tanta gente;
consegui formar uma linda família;
Sendo eu, meu amor e minhas filhas!

Para vocês: Dora (meu amor), Isabella (primogênita) e Isadora (minha caçula)

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Não esqueça


Quando você se levantou pela manhã, eu já havia preparado o sol para aquecer o seu dia e o alimento para sua nutrição. Sim, eu providenciei tudo isso enquanto vigiava e guardava seu sono, a sua família e a sua casa. Esperei pelo seu Bom Dia, mas você se esqueceu ... Bem ... você parecia ter tanta pressa que eu perdoei!


O sol apareceu, as flores deram o seu perfume, a brisa da manhã o acompanhou e você nem pensou que eu é que havia preparado tudo para você. Seus familiares sorriram, seus colegas o saudaram, você trabalhou, viajou, realizou negócios, alcançou vitórias, mas... você não percebeu que eu estava cooperando com você e, teria ajudado mais se tivesse me dado uma chance...


Eu sei, você corre tanto que eu perdoei! Você leu bastante, ouviu muita coisa, viu mais ainda e não teve tempo de ler ou ouvir a minha palavra. Eu quis falar, mas você não parou para ouvir. Eu quis até aconselhar-te, mas você nem pensou nessa possibilidade. Seus olhos, seus pensamentos, seus lábios seriam melhores. O mal seria menor e o bem muito maior em sua vida.


A chuva à tarde, foram minhas lágrimas por sua ingratidão, mas foram também a minha benção sobre a terra para que não te falte pão e água. Você trabalhou, ganhou dinheiro que não foi mais porque não me deixou ajudar. Mais uma vez você se esqueceu que eu desejo sua participação no meu Reino com sua vida, seu tempo, seus talentos e seu dinheiro também.


Findou o dia. Você voltou para casa. Mandei a lua e as estrelas tornarem a noite mais bonita para lembrar-te o meu amor por você. Certamente agora você vai dizer "Obrigado" e Boa Noite.


Psiu ... Está me ouvindo? Já dormiu? Que pena!


Quem sabe amanhã você se lembre de mim.

sábado, 19 de julho de 2008

Não esqueça o principal


Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passou diante de uma caverna e escutou uma voz misteriosa que lá dentro dizia:


"Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal.


Lembre-se, porém, de uma coisa: Depois que você sair, a porta se fechará para sempre.


Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal..."


A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental.


A voz misteriosa falou novamente:


"Você agora, só tem oito minutos."


Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou.


Lembrou-se, então, que a criança lá ficara e a porta estava fechada para sempre!


A riqueza durou pouco e o desespero, sempre.


O mesmo acontece por vezes, conosco. Temos tantas coisas importantes para cuidar, principalmente de nossa saúde espiritual que deve ser nosso interesse principal e distrações como a busca por riquezas pode colocar tudo a perder!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

O Nó

Numa reunião de pais, a professora realçava o apoio que os pais devem dar aos filhos e pedia-lhes que estivessem presentes o mais tempo possível...

Embora sabendo que a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhasse fora, apelou para que se esforçassem para estar com os filhos. Ouviu atentamente um pai que se levantou e explicou, de forma humilde, que não tinha tempo de falar nem de ver o filho durante a semana.

Quando ele saia para trabalhar, o filho ainda estava a dormir e, quando voltava do trabalho, o garoto já não estava acordado.Explicou, que era a única forma de sustentar a família e que ficava angustiado por não ter tempo para o filho.

Tentava redimir-se indo beijá-lo todas as noites quando chegava a casa.Mas desta forma o filho nem sabia que o pai passara por casa...Para que o pequeno soubesse da sua presença, dava um nó na ponta do lençol que o cobria.Fazia isto religiosamente todas as noites quando o beijava. Quando o filho acordava desfazia o nó, sabia que o pai tinha lá estado e o tinha beijado.O nó, era o meio de comunicação entre eles. 

A emoção não está na história, mas na alternativa encontrada por este pai!O fato faz-nos refletir sobre as muitas maneiras das pessoas estarem presentes e de se comunicarem...

O importante é que o filho percebia o que o pai lhe queria dizer, através daquele nó afetivo... Gestos simples como um beijo e um nó na ponta do lençol, valiam para aquela criança muito mais do que as desculpas vazias, os presentes, os objetos caros, os brinquedos ou as guloseimas.

É por esta razão que um beijo cura a dor de barriga, o arranhão no joelho ou o medo do escuro. Podem não entender o significado de muitas palavras, mas todos nós sabemos o valor de um gesto de amor... mesmo que esse gesto seja apenas um nó na ponta do lençol ...

terça-feira, 15 de julho de 2008

Enquanto eu olho você dormir!

Minha filha amada, entrei devagarinho no seu quarto enquanto você dorme, para sentar ao seu lado e observar você por um instante. Seus olhos estão fechados, um cacho do cabelo cai sobre a testa e a respiração faz seu peito subir e descer quase imperceptivelmente. 

Eu estava trabalhando no escritório e de repente fui tomado de uma grande tristeza quando pensei no que aconteceu durante o dia. Não consegui mais prestar atenção no meu trabalho e então vim conversar com você no seu silêncio, enquanto você descansa.

De manhã, perdi a paciência e disse que você parecia uma lesma, porque levou um tempo enorme para se vestir. Depois, fuzilei você com os olhos quando derramou geleia na blusa limpa durante o café da manhã. "De novo?", suspirei fundo. Você apenas sorriu e se despediu: "Até logo, papai!"

À tarde estava no telefone enquanto você brincava no meu quarto, chutando a bola contra a parede do fundo e comemorando em voz alta cada vez que acertava um gol imaginário. Irritado, interrompi a ligação de quase uma hora para mandar você parar e ir fazer o dever de casa. "Tá bem, papai", você disse, meio culpada, e foi pegar a pasta para me obedecer.

À tarde, enquanto eu trabalhava em minha escrivaninha, você se aproximou e, hesitante, pediu: "Lê uma história para mim esta noite, papai?" Nos seus olhos, um brilho de esperança. "Esta noite, não", eu disse, rudemente. "Seu quarto ainda está uma bagunça! Quantas vezes vou ter de mandar você arrumar suas coisas?" Você saiu arrastando os pés, com a cabeça baixa, e foi para o quarto. Logo depois voltou, ficou encostada na porta. "O que você quer agora?", perguntei com a voz impaciente.

Você não disse uma só palavra, mas entrou decidida no quarto, jogou seus braços ao redor do meu pescoço e beijou meu rosto. "Boa noite, papai. Sabia que eu te amo?" Foi tudo o que me disse, me apertando com força. E, tão rapidamente como apareceu, você se foi.

Depois disso, fiquei sentado um bom tempo, olhos fixos na mesa, sentindo uma onda de remorso me invadir. O que é que tinha acontecido comigo? Você não havia feito nada com a intenção de me aborrecer. Estava apenas sendo criança, se ocupando em crescer e aprender. 

Eu me perdi hoje num mundo adulto de responsabilidades e cobranças e fiquei com pouca energia para lhe dar. Você foi minha professora com seu impulso tão espontâneo de entrar no quarto e me beijar, mesmo depois de um dia difícil, enfrentando meu mau humor.

E agora, enquanto vejo você dormindo, torço para o dia chegar e começar tudo de novo. Amanhã vou usar a mesma compreensão que você teve comigo hoje, para que eu seja um pai de verdade – oferecendo um doce sorriso quando você acordar, uma palavra de apoio depois da escola e uma história animada na hora de dormir.

Vou rir quando você rir e chorar quando você chorar. Vou tentar colocar limites com suavidade e afeto. Vou me lembrar que você é apenas uma criança, não um adulto, e vou ficar feliz por ser seu pai.

A alegria do seu espírito me tocou hoje e, assim, vim aqui, tarde da noite, agradecer a você, minha filha, minha professorinha e minha amiga, pela dádiva do seu amor.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Você é Importante, sabia?

Recentemente, uma mulher segurou meu braço após uma palestra que fiz a respeito da enorme necessidade que temos de auto-afirmação.

- Dr. Trent, posso contar-lhe minha história? – ela perguntou. – Na verdade, é uma história a respeito do que meu filho fez com minha neta e que ilustra o que foi dito aqui, a importância da auto-afirmação.

- Meu filho tem duas filhas – ela prosseguiu -, uma com cinco anos e outra com aquela "terrível" idade de dois anos.

Quando uma avó usa a palavra "terrível" para descrever um neto ou uma neta, podem acreditar, porque é verdade!

- Nesses últimos anos, meu filho tem levado a menina mais velha para passear com ele, mas só levou a mais nova recentemente.

No primeiro passeio com ela, levou-a para tomar café da manhã em uma lanchonete.

Quando chegaram as panquecas, meu filho achou o momento seria propício para dizer à filha quanto ele a amava.

- Jenny – ele disse à filha – quero que você saiba quanto eu a amo e como você é especial para a mamãe e para mim. Oramos por você durante anos, e, agora que está aqui e se transformou em uma menina tão linda, estamos muito orgulhosos de você.

Depois de dizer isso, ele parou de falar e esticou o braço para pegar o garfo e começar a comer... mas não chegou a colocá-lo na boca.

A menina pôs a mão sobre a do pai. Ele olhou para a filha e, com voz meiga e suplicante, ela disse:

- Mais, papai... mais.

Ele pousou o garfo na mesa, e prosseguiu, apresentando outros motivos que o levaram a amar tanto a filha, e, em seguida, fez menção de pegar o garfo novamente. 

Pela segunda vez... terceira vez... e quarta vez, ele ouviu as palavras.

- Mais, papai... mais.

Aquele pai quase não conseguiu saborear o desjejum naquela manhã, mas sua filha recebeu o sustento emocional de que tanto necessitava.

Alguns dias depois, ela correu espontaneamente em direção à mãe e disse:

- Eu sou uma filha muito especial, mamãe. Foi o papai que disse.

Não esqueça nunca de dizer às pessoas que ama, a importância delas em sua vida!

terça-feira, 8 de julho de 2008

Fragmentos!


Trêmula e imprecisa,

a mão traça, numa folha esquecida ...

palavras, desenhos… uma vã tentativa.


Um esboço inacabado,

de emoções condensadas,

num espaço imaginário!


Neste pedaço do nada,

perdido no tempo ... o coração se faz ouvir

em gritos cortantes, que do papel saltam à alma


E se desfazem no infinito…