English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Morrer lentamente ...

Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.


Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.


Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário. Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.


Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.


Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.


Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.


Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar.


Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.


Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.


Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia.


Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar.

Martha Medeiros

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Ei, você aí?

Tá na hora de deixar seu comentário no blog, né?!

Aprecio muito suas visitas, vibro com os novos seguidores deste modesto blog, como também fico feliz com os "curtidores" do Facebook ... já são 57 países acompanhando os "Meus Fragmentos", sem contar as cidades e estados.

Valeu de verdade!

Mas o que mais incentiva - além de tudo isto - é o seu comentário!

Comenta, vai?

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Fragmentando

Fala Pessoal, belezinha?

A exatos quatro anos e quatro meses atrás, minha vida estava uma loucura, estava muito depressivo e angustiado, nada me dava prazer ou alegria. Mas Jeová que examina os corações, sabe quem somos e até onde podemos suportar determinadas coisas ou situações, foi como sempre ... maravilhoso! Deixei-me esquadrinhar por Ele e a resposta veio mais evidente do que antes. Hoje tenho certeza absoluta que Jeová dava as dicas, mas devido à imperfeição eu não as enxergava. Precisei me ferir um pouco pra perceber! Precisei de todo este tempo também para analisar de modo correto e ponderado os acontecimentos ... e sabe qual foi minha conclusão?

A mais evidente possível, mas que muitas vezes como "cabeças-duras" que somos, demoramos a aplicar: coloque seus problemas, dúvidas, ansiedades e angústias somente nas mãos Daquele que tem o poder para nos aliviar: Jeová Deus! (Salmos 55:22)

Hoje, passados mais de quatro anos do que intitulo: "grande tempestade" que passou e quase me levo; vejo uma pessoa mais forte, centrada e confiante! Modifiquei muita coisa e passei a cuidar mais de meu jardim e pude ver que novas flores cresceram, a vegetação tomou cor e borboletas das mais raras espécies passaram a visitá-lo. Hoje com outra visão e outros sentimentos, analiso de modo claro como Jeová me permitiu crescer de um modo que no momento não percebia e não entendia, afinal ... milho de pipoca que não passa pelo fogo vai ser milho pra sempre.

Hoje renovado e fortalecido a cada dia eu agradeço pelo privilégio que é conhecer e servir um Deus tão maravilhoso, amoroso e cuidadoso como Jeová é. Agradeço-o de no momento certo prover amigos que se apegaram a mim, mais que um irmão. Amigos estes que levarei sempre comigo e continuamente estarão em minhas orações. Agradeço-o pelos amigos que vieram depois, tão leais e necessários! Mas tudo isso só foi possível - e ninguém duvide disso - porque Jeová não vê como o mero homem vê, Jeová examina o coração!

Então ... por mais que você ache que tudo conspire contra. Por mais que ache que nada dará certo, por mais que ache que já chegou ao fundo do poço: Não desista ! Não duvide que assim como aconteceu com Jó no passado que foi privado de tudo que mais amava, mas perseverou e foi ricamente abençoado ... o mesmo pode se dar com você! Basta confiar, acreditar e o mais importante: perseverar!

(Lucas 6:38)