English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Ainda bem que sempre existe o amanhã ...

Não importa se uma tempestade imensa está cobrindo todo o seu céu azul hoje. Lembre-se de que é apenas hoje, e que sempre existe o amanhã.

Amanhã o sol pode estar brilhando tanto que você mal vai conseguir ver como brilha, e as nuvens tão brancas de paz que você pensará por um instante que o dia nunca mais terá tanta beleza como esse de amanhã. 

A felicidade começa a partir do nada, então não se incomode se sua vida estiver repleta dele, repleta de nada.

Lembre-se de que esse nada de hoje pode ser o início do dia ensolarado de amanhã. Amanhã é sempre outro dia. Só não se apresse em buscá-lo, pois quem procura demais acaba por não encontrar coisa alguma, apenas afasta toda a sorte do destino e do acaso com sua agonizante espera por algo melhor.

Eu digo tudo isso porque ontem meu sol não saiu, as nuvens escureceram, a tempestade caiu e a lua não brilhou como eu queria. Mas isso foi ontem.

Hoje o sol tomou conta do meu dia, o vento carregou as nuvens do meu céu – que por sinal irradiava tons de azul maravilhosos! – e a noite nunca esteve tão serena.

Pra você o meu conselho:

Não é só porque você não consegue enxergar as maravilhas do dia de amanhã, que elas simplesmente não existam. Elas estão lá, e continuam lá. Estarão sempre esperando por você. Amanhã terá vento para carregar as nuvens escuras e um céu claro para brilhar o sol.

Tudo isso está à sua espera no dia de amanhã, mesmo que você mantenha seus olhos fechados por alguns instantes hoje. Mas experimente abri-los mais vezes de vez em quando, assim como eu fiz.

Larissa Pires

domingo, 6 de maio de 2012

Sábia Clarice ...


“Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão… tranqüilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. 

Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer”

- Clarice Lispector