English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

sábado, 31 de dezembro de 2016

Ano Novo


Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Há coragem naquele que perdoa!

O perdão é algo que mexe com qualquer um, vai além da esperança daquele que perdoa e da ansiedade daquele que tanto o deseja. Perdoar é “abrir mão, deixar ir embora”, é quando deixamos de guardar ressentimento, mágoa e tudo aquilo que nos pesa. É 'deixar ir' as chateações, dores e prejuízos que tivemos. 

Só consigo enxergar coragem nessas ações, pois perdoar dói! É cair na intensidade da ‘questão’ (numa conversa, lembrança ou pensamentos), e depois saber ressignificar. Precisamos estar dispostos a passar por uma fase turbulenta até chegar à calmaria para - somente então - seguirmos em paz!

Haja angústia e palavras engasgadas para aqueles que não se sentem livre de alma e não enxergam a possibilidade de “abrir mão”. 
Não é fingir que nada aconteceu, mas ter certeza que esse acontecimento te proporcionou novos sentidos, que através dele conheceu a leveza que é capaz de transmitir e as lágrimas que foi capaz de suportar. 
Perdoar ou ser perdoado me remete a uma nova chance, recomeço e novas possibilidades de ser uma pessoa melhor. É algo que vem de dentro - vem de mim - para somente depois, atingir o outro.

Quando a gente perdoa ou é perdoado, até a nossa saúde melhora! É flo(rir) depois da tempestade!

- Thalita Souza

sábado, 29 de outubro de 2016

Nunca se detenha

"Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo.

Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo.

Não viva de fotografias amareladas...

Continue, quando todos esperam que desistas.

Não deixe que enferruje o ferro que existe em você.

Faça com que em vez de pena tenham respeito por você.

Quando não conseguir correr através dos anos, trote.

Quando não conseguir trotar, caminhe.

Quando não conseguir caminhar, use uma bengala.

Mas nunca se detenha".

- Madre Teresa de Calcutá

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Overdose

Meu ideal seria escrever uma história tão engraçada que aquela moça que está doente naquela casa cinzenta quando lesse minha história no jornal risse, risse tanto que chegasse a chorar e dissesse: - “ai meu Deus, que história mais engraçada!”.

E então a contasse para a cozinheira e telefonasse para duas ou três amigas para contar a história; e todos a quem ela contasse rissem muito e ficassem alegremente espantados de vê-la tão alegre. 

Ah, que minha história fosse como um raio de sol, irresistivelmente louro, quente, vivo, em sua vida de moça reclusa, enlutada, doente. Que ela mesma ficasse admirada ouvindo o próprio riso, e depois repetisse para si própria: - “mas essa história é mesmo muito engraçada!”.

Que um casal que estivesse em casa mal-humorado, o marido bastante aborrecido com a mulher, a mulher bastante irritada com o marido, que esse casal também fosse atingido pela minha história. 

O marido a leria e começaria a rir, o que aumentaria a irritação da mulher. Mas depois que esta, apesar de sua má vontade, tomasse conhecimento da história, ela também risse muito, e ficassem os dois rindo sem poder olhar um para o outro sem rir mais; e que um, ouvindo aquele riso do outro, se lembrasse do alegre tempo de namoro, e reencontrassem os dois a alegria perdida de estarem juntos.

Que nas cadeias, nos hospitais, em todas as salas de espera a minha história chegasse - e tão fascinante de graça, tão irresistível, tão colorida e tão pura que todos limpassem seu coração com lágrimas de alegria; que o comissário do distrito, depois de ler minha história, mandasse soltar aqueles bêbados e também aqueles pobres mulheres colhidas na calçada e lhes dissesse “por favor, se comportem, que diabo! Eu não gosto de prender ninguém!” . 

E que assim todos tratassem melhor seus empregados, seus dependentes e seus semelhantes em alegre e espontânea homenagem à minha história.

E que ela aos poucos se espalhasse pelo mundo e fosse contada de mil maneiras, e fosse atribuída a um persa, na Nigéria, a um australiano, em Dublin, a um japonês, em Chicago - mas que em todas as línguas ela guardasse a sua frescura, a sua pureza, o seu encanto surpreendente; e que no fundo de uma aldeia da China, um chinês muito pobre, muito sábio e muito velho dissesse: 

- “Nunca ouvi uma história assim tão engraçada e tão boa em toda a minha vida; valeu a pena ter vivido até hoje para ouvi-la; essa história não pode ter sido inventada por nenhum homem, foi com certeza algum anjo tagarela que a contou aos ouvidos de um santo que dormia, e que ele pensou que já estivesse morto; sim, deve ser uma história do céu que se filtrou por acaso até nosso conhecimento; é divina”.

E quando todos me perguntassem: - “mas de onde é que você tirou essa história?” - eu responderia que ela não é minha, que eu a ouvi por acaso na rua, de um desconhecido que a contava a outro desconhecido, e que por sinal começara a contar assim: “Ontem ouvi um sujeito contar uma história…”.

E eu esconderia completamente a humilde verdade: que eu inventei toda a minha história em um só segundo, quando pensei na tristeza daquela moça que está doente, que sempre está doente e sempre está de luto e sozinha naquela pequena casa cinzenta de meu bairro.”

- Rubem Braga

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Hora Certa

Alguns estão solteiros. Alguns estão casados e esperaram 10 anos para ter um filho, e outros tiveram um filho depois de um ano de casados. 

Alguns se formaram aos 22 anos, e esperaram 5 anos para conseguir um bom emprego. Outros se formaram aos 27 e encontraram o emprego de seus sonhos imediatamente!

Alguns se tornaram presidentes de grandes empresas aos 25 e morreram aos 50, enquanto outros se tornaram presidentes aos 50, e viveram até os 90.

Cada um trabalha com seu próprio “fuso horário”. As pessoas conseguem lidar com situações apenas de acordo com seu próprio tempo. 

Trabalhe com o seu próprio tempo. 

Seus colegas, amigos, e conhecidos mais jovens podem parecer estar “a frente” de você, e outros podem parecer estar “atrás”.

Não os inveje nem zombe deles. Estão em seu próprio tempo. E você está no seu!

Segure firme, seja forte, e seja verdadeiro consigo mesmo. Tudo irá conspirar ao seu favor. 

Você não está atrasado, nem adiantado, você está exatamente na hora certa!

Autor desconhecido

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Sobre possibilidades ...

A vida às vezes vira a gente de ponta cabeça e chacoalha até derrubarmos tudo aquilo que carregávamos, e nos tira o que chamávamos de possibilidade. 

E só quando a gente coloca o pé no chão é que entende, que possibilidade mesmo não são aquelas coisas que imaginamos que nos pertencem, não é ter embaixo dos braços um punhado de quase certezas. 

Possibilidade é começar do zero, com as mãos vazias.

- Camila Heloise

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Fragmentando ...

Compreender as vivencias de alguém e poder enxergá-la como a soma de suas experiências é aceitar que o outro nunca está completo, e sim, em construção. 

Não devemos exigir que 'ele' esteja pronto para nós, se jamais estará pronto para si mesmo. Entender o jeito inacabado do 'outro', é aceitar um alguém que irá construir algo novo contigo, é aceitar fazer parte das possibilidades que virá em sua companhia.

E isso, não se nomeia e define. É sempre uma surpresa! A escolha é sempre sua, se embarca ou não, nessa construção!

- Thalita Souza

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

É preciso ir embora

Ir embora é importante para que você entenda que você não é tão importante assim, que a vida segue, com ou sem você por perto. Pessoas nascem, morrem, casam, separam e resolvem os problemas que antes você acreditava só você resolver. 

É chocante e libertador – ninguém precisa de você pra seguir vivendo. 

Nem sua mãe, nem seu pai, nem seu ex-patrão, nem sua pegada, nem ninguém. Parece besteira, mas a maioria de nós tem uma noção bem distorcida da importância do próprio umbigo – novidade para quem sofre deste mal: ninguém é insubstituível ou imprescindível. Lide com isso!

É preciso ir embora ...

Ir embora é importante para que você veja que você é muito importante sim! Seja por 2 minutos, seja por 2 anos, quem sente sua falta não sente menos ou mais porque você foi embora – apenas sente por mais tempo! O sentimento não muda. Algumas pessoas nunca vão esquecer do seu aniversario, você estando aqui ou na Austrália. 

Esse papo de “que saudades de você, vamos nos ver uma hora” é politicagem. 
Quem sente sua falta vai sempre sentir e agir. E não se preocupe, pois o filtro é natural. Vai ter sempre aquele seleto e especial grupo que vai terminar a frase “Que saudade de você…” com “por isso tô te mandando esse áudio”; ou “porque tá tocando a nossa música” ou “então comprei uma passagem” ou ainda “desce agora que tô passando aí”.

Então vá embora!

Vá embora do trabalho que te atormenta. Daquela relação que você sabe não vai dar certo. Vá embora “da galera” que está presente quando convém. Vá embora da casa dos teus pais. Do teu país. Da sala. Vá embora. Por minutos, por anos ou pra vida. Se ausente, nem que seja pra encontrar com você mesmo. Quanto voltar – e se voltar – vai ver as coisas de outra perspectiva, lá de cima do avião.

As desculpas e pré-ocupações sempre vão existir. Basta você decidir encarar as mesmas como elas realmente são – do tamanho de formigas.

- Antônia Macchi

terça-feira, 26 de julho de 2016

Arrisque-se!

Se você for tentar, tente de verdade, caso contrário nem comece!

Isso pode significar perder tudo. E talvez até sua cabeça. Isso pode significar não comer nada por três ou quatro dias. Isso pode significar congelar num banco de praça. Isso pode significar escárnio e isolamento.

Isolamento é uma dádiva!

Todo o resto é teste da sua resistência. De quanto você realmente quer fazer isso. E você vai fazer isso, enfrentando rejeições das piores espécies.

E isso será melhor do que qualquer coisa que você já imaginou. Se você for tentar, tente de verdade. Não há outro sentimento melhor que isso. Você estará sozinho com os deuses. E as noites vão arder em chamas. 

Você levará sua vida direto para a risada perfeita. Esta é a única briga boa que existe.

- Charles Bukowski

domingo, 10 de julho de 2016

Nossas escolhas

Diariamente fazemos escolhas em nossas vidas e, cada uma delas traz consigo uma consequência.

Há 5 anos você decidiu algo que te trouxe ao que você é e tem hoje. Pare e reflita nisso. Algumas pessoas colocam a culpa em tudo, menos nelas mesmas, responsáveis por escolher o que fazer.

Estamos em 2016. Como você estava em 2011? A situação lá atrás era muito diferente da atual? Se sim, foi porque você escolheu mudar. Se não, é porque você também fez escolhas que te fizeram continuar no mesmo lugar.

Hoje você terá opções e poderá escolher o que fazer. Esteja ciente que decisões tomadas hoje, refletirão no seu você de daqui 5 anos.

Portanto, escolha bem!

Texto extraído da página: #fabricadementes

sexta-feira, 8 de julho de 2016

08 anos de Meus Fragmentos

Fala pessoal, belezinha? 

Hoje esse blog completa 08 anos. Estou com tanta saudade de escrever aqui, mas ainda estou com o meu notebook no conserto e sinceramente escrever no tablet é muito ruim.

Quero agradecer sempre sua visita aqui e pedir desculpas pelo aparente abandono, mas brevemente estarei atualizando este espaço que gosto demais.

domingo, 29 de maio de 2016

Eu desejo!

Fala pessoal, belezinha? 

Estou um bom tempo sem postar aqui pois estava sem o meu notebook e pelo tablet fica mais complicado. 

Calma que estou retornando às postagens!

Estou com muita saudade de escrever aqui. Tem ocorrido muitas coisas comigo ultimamente e uma delas é um desejo imenso de mudança, Mudanças de emprego, cidade, comportamento e foco, vem ganhando a cada dia uma força maior.

Neste processo, o que importa é a qualidade e não a quantidade. Quero voltar a fazer as coisas com amor e intensidade, Seja em sentido pessoal, espiritual e profissional.

Estou muito confiante e peço a vocês que torçam por mim e minha família neste processo. Aos poucos darei maiores detalhes entre uma postagem e outra.

Nos falamos em breve, ok?

domingo, 27 de março de 2016

Fragmentando ...

"O suicídio não acontece quando alguém corta os pulsos ou salta de uma janela com uma corda ao redor do pescoço.

O verdadeiro suicídio acontece quando acordamos todos os dias do mesmo jeito que fomos dormir, quando o coração vazio continua vazio, quando a alma continua morta."

- Rafael Di Souza

domingo, 13 de março de 2016

Você já sentiu?!

Você já se sentiu como se precisasse sumir por um tempo? Já se sentiu como se estivesse sendo destruído pelas pessoas em sua volta?

É como se você estivesse em uma grande bolha de ar que sempre é estourada-e-estourada até você não ter forças suficientes para regenera-la. 

É como se todo o seu ar fosse sugado pelo vácuo de seu coração e seus sentimentos fossem esmagados por uma grande sobrecarga psíquica.

Você já se sentiu como se estivesse morrendo aos poucos sem poder lutar pela sua sobrevivência? Já se sentiu como se uma simples e pequena palavra pudesse lhe derrubar ou te demolir como o vento faz com um castelo de cartas?

Saiba que é como se o chão desmoronasse em sua volta e você não tivesse escapatória. É como se o sol estivesse descendo para terra vaporizando seu corpo em segundos e você não ter chance de fugir. É como um tsunami, engolindo e massacrando nossos lares. 

É tudo tão confuso, é tudo tão denso, violento e indesejado. 

Você já sentiu?

- Gabriel Mariano

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Os cinco estágios

Fala pessoal, belezinha?

Vocês que acompanham meu blog, notaram que passei por situações que me fugiram ao controle. Em 2011 fui fortemente atacado por imprevistos dolorosos em minha vida profissional, pessoal e principalmente espiritual.

Eu morri durante este ataque, e para retornar a viver, precisei passar por todos os cinco estágios do luto: negação, raiva, barganha, depressão e finalmente a aceitação.

Hoje mais forte, já consigo respirar e sei que não precisarei mais me preocupar com trivialidades que antes me tornavam mais amargo a cada minuto que passava.

Não precisarei mais me preocupar com todos os insignificantes detalhes de um passado remoto que tanto me picavam, sem nunca me perfurar totalmente. Andava farto de empurrões com objetivo de me fazer tombar, mas não cair completamente.

Mas, verdade seja dita: o meu equilíbrio, tal como todo o resto, sempre foi melhor do que na verdade o era. Mesmo assim, tenho feito um enorme esforço para não deixar os meus pés perderem a sua recentemente adquirida harmonia.

Durante o processo abandonei coisas demais, destruí tantas outras que criei, além de arrancar de mim sonhos que demorei tanto a conquistar mas perdi em 2011. Foi como se eu fosse tomado por um furacão, pois abandonei sons, sentimentos, costumes, palavras, cheiros e pessoas que antes julgava importantes.

Hoje consigo respirar, pensar em tudo e seguir em frente, pois a dor emocional embora ainda exista, atualmente é insignificante e enfraqueceu com o tempo.

Sei que jamais serei o mesmo, nem desejo mais o ser. Quero somente me manter firme ... preciso muito disso!

Sou eu quem vai desempatar este braço de ferro, portanto, tudo depende de mim. Resta saber a quem darei a vitória.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Casa Arrumada

Casa arrumada é assim: Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.

Mas casa, para mim, tem que ser casa e não centro cirúrgico, nem cenário de novela.

Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas. Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida!

Casa com vida, para mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.

Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha. Sofá sem mancha? Tapete sem fio puxado? Mesa sem marca de copo? Tá na cara que é casa sem festa. E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.

Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde. Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...

Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vindo. A que está sempre pronta para os amigos, filhos, netos e para os vizinhos.

E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.

Arrume a casa todos os dias, mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo para viver nela e ... reconhecer nela o seu lugar.

Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Feliz Livro Novo!

Há um ano atrás, quando 2015 começou, ele era todo seu. Foi colocado em suas mãos e você podia fazer dele o que quisesse.

Era como um Livro em Branco, e nele você podia colocar um poema, um pesadelo, uma blasfêmia, uma oração.

Podia ... hoje não pode mais; já não é seu. 2015 é um livro já escrito, concluído!

Como um livro que tivesse sido escrito por você, ele um dia lhe será lido, com todos os detalhes, e você não poderá corrigi-lo. Estará fora de seu alcance.

Portanto, reflita ... tome seu velho livro e o folheie com cuidado.

Deixe passar cada uma das páginas pelas mãos e pela consciência; faça o exercício de ler a você mesmo.

Leia tudo ...

Aprecie aquelas páginas de sua vida em que você usou seu melhor estilo. Leia também as páginas que gostaria de nunca ter escrito. 

Não, não tente arrancá-las ... seria inútil, já estão escritas!

Mas você pode lê-las enquanto escreve o novo livro que lhe foi entregue hoje; assim, poderá repetir as boas coisas que escreveu, e evitar repetir as ruins.

Para escrever o seu novo livro, você contará novamente com o instrumento do livre arbítrio, e terá, para preencher, toda a imensa superfície do seu mundo.

Se tiver vontade de beijar seu velho livro, beije-o. Se tiver vontade de chorar, chore sobre ele e, a seguir, coloque-o nas mãos do Criador.

Não importa como esteja ... ainda que tenha páginas negras, entregue e diga apenas duas palavras: 

"Obrigado e Perdão"

E, agora que 2016 já chegou, você ganhou outro livro: novo, limpo, branco - todo seu - no qual você irá escrever o que quiser.

Tenha perspicácia, não perca a fé e siga em frente!

Autor Desconhecido