English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Fragmentando com Caio Fernando Abreu

Compreendo tudo muito, mas ainda dói e é incômodo. Vontade de não saber perdoar, de não ser compreensivo ou tolerante - de não me contentar com o pouco - "amor malfeito, depressa, fazer a barba e partir". O domingo tá acabando - já é tarde - amanhã a gente começa de novo ...

Eu me sinto às vezes tão frágil! Queria me debruçar em alguém, em alguma coisa, alguma segurança. 

Invento estorinhas para mim mesmo, o tempo todo, me conformo, me dou força ...

Mas a sensação de estar sozinho não me larga. Algumas paranoias, mas nada de grave. 

O que incomoda é esta fragilidade, essa aceitação, esse contentar-se com quase nada.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O poder das palavras ...

Você já pensou sobre a força das palavras? Na força negativa e positiva? Sim, afinal, as palavras podem libertar ou oprimir, alegrar ou entristecer, aliviar ou angustiar, rir ou chorar, estimular ou derrubar, amar ou odiar e assim tantas coisas mais.

Dito isto, devemos compreender que somos muito responsáveis quando nos expressamos. É um assunto muito sério porque as palavras tem uma força própria - seguem a lei da gravidade.

Por exemplo: Se você jogar uma bola para cima ela logicamente cairá, e poderá bater na sua cabeça, certo?

Agora imagine então que cada palavra que sai de sua boca é jogada para cima? Seguindo o mesmo raciocínio, num dado momento elas cairão, não é verdade? 

Só lhe resta saber se são boas ou más palavras ...

Digo isso porque quantas vezes nós já não ferimos pessoas ao qual amamos com palavras amargas, frias e desestimulantes? 

Eu, por exemplo já fui atingido inúmeras vezes por palavras ditas de modo errado, assim como também já falei - embora seja raro - coisas que não vieram do coração, e que das quais me arrependi profundamente. 

Inquestionavelmente, uma palavra mal falada, é como um tapa dado, ou seja, jamais poderemos voltar atrás no que dizemos e quem as escuta, pode até mesmo guardá-las para sempre. 

As palavras têm essa peculiaridade pois mexem com a gente, principalmente quando vem de quem amamos e prezamos. 

Se não tiver nada de positivo para dizer: cale-se! Muitas vezes a vida das pessoas está repleta de tantos desafios e lutas, que dizer algo impensado para o outro poderia ser desastroso. 

E já que as palavras tem um poder enorme, então que tal começarmos a usar as palavras para trazer amor e alegria às pessoas que estão ao nosso redor? Seja ajudando, confortando e até fazendo-as sorrir! 

Usar as palavras de modo correto, requer treino, disposição e empatia, mas faz um bem danado para quem as recebe assim!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Casinha branca

Eu tenho andado tão sozinho ultimamente, que nem vejo à minha frente nada que me dê prazer.

Sinto cada vez mais longe a felicidade, vendo em minha mocidade tanto sonho perecer.

Às vezes saio a caminhar pela cidade à procura de amizades ... vou seguindo a multidão!

Mas eu me retraio olhando em cada rosto, cada um tem seu mistério, seu sofrer, sua ilusão.

Eu queria ter na vida simplesmente ... um lugar de mato verde, para plantar e para colher.

Ter uma casinha branca de varanda, um quintal e uma janela ... para ver o sol nascer!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Preste atenção ...

Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: Você mesmo!

Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida.

Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida.

Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.

Sua vida não muda quando seu chefe muda, quando sua empresa muda, quando seus pais mudam, quando seu namorado ou namorada muda.

Sua vida muda quando "você" muda!

Afinal, você é o único responsável por ela.

Luís Fernando Veríssimo

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O vazio ...

A vida precisa do vazio: a lagarta dorme num vazio chamado casulo até se transformar em borboleta.

A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida. 

Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito. 

E as pessoas, para serem belas e amadas, precisam ter um vazio dentro delas. 

A maioria acha o contrário; pensa que o bom é ser cheio. Essas são as pessoas que se acham cheias de verdades e sabedoria e falam sem parar. 

São umas chatas quando não são autoritárias.

Bonitas são as pessoas que falam pouco e sabem escutar. 

A essas pessoas é fácil amar. Elas estão cheias de vazio. E é no vazio da distância que vive a saudade ...

Rubem Alves

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Confissão ...

Confesso que ando muito cansado, sabe? 

Mas um cansaço diferente… um cansaço de não querer mais reclamar, de não querer pedir, de não fazer nada, de deixar as coisas acontecerem. 

Confesso que às vezes me dão umas crises de choro que parecem não parar, um medo e ao mesmo tempo uma certeza de tudo que quero ser, que quero fazer. 

Confesso que você estava em todos esses meus planos, mas eu sinto que as coisas vão escorrendo entre meus dedos, se derramando, não me pertencendo.  

Estou realmente cansado. 

Cansado e cansado de ser mar agitado, de ser tempestade… quero ser mar calmo. Preciso de segurança, de amor, de compreensão, de atenção, de alguém que sente comigo e fale: “Calma, eu estou com você e vou te proteger! Nós vamos ser fortes juntos, juntos, juntos.” 

Confesso que preciso de sorrisos, abraços, chocolates, bons filmes, paciência e coisas desse tipo. Confesso, confesso, confesso. 

Confesso que agora só espero você.

Caio F. Abreu