English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Fragmentando ***

A exatos dois anos atrás minha vida estava uma loucura, estava muito depressivo e angustiado, nada me dava prazer ou alegria. Mas Jeová que examina os corações, sabe quem somos e até onde podemos suportar determinadas coisas ou situações foi como sempre ... maravilhoso! Deixei-me esquadrinhar por Ele e a resposta veio mais evidente do que antes. Hoje tenho certeza absoluta que Jeová dava as dicas, mas devido à imperfeição eu não as enxergava. Precisei me ferir um pouco pra perceber! Precisei de todo este tempo também para analisar de modo correto e ponderado os acontecimentos ... e sabe qual foi minha conclusão?

A mais evidente possível, mas que muitas vezes como "cabeças-duras" que somos, demoramos a aplicar: coloque seus problemas, dúvidas, ansiedades e angústias somente nas mãos Daquele que tem o poder para nos aliviar: Jeová Deus!

Hoje, passados dois anos do que intitulo: "grande tempestade" que passou e quase me levou, vejo uma pessoa mais forte, centrada e confiante! Modifiquei muita coisa e passei a cuidar mais de meu jardim e pude ver que novas flores cresceram, a vegetação tomou cor e borboletas das mais raras espécies passaram a visitá-lo. Hoje com outra visão e outros sentimentos, analiso de modo claro como Jeová me permitiu crescer de um modo que no momento não percebia e não entendia, afinal ... milho de pipoca que não passa pelo fogo é milho pra sempre.

Hoje renovado e fortalecido a cada dia eu agradeço pelo privilégio que é conhecer e servir um Deus tão maravilhoso, amoroso e cuidadoso como Jeová é. Agradeço-o de no momento certo prover amigos que se apegaram à mim, mais que um irmão. Amigos estes que levarei sempre comigo e continuamente estarão em minhas orações. Agradeço-o pelos amigos que vieram depois, tão leais e necessários! Mas tudo isso só foi possível - e ninguém duvide disso - porque Jeová não vê como o mero homem vê, Jeová examina o coração!

Então ... por mais que você ache que tudo conspire contra. Por mais que ache que nada dará certo, por mais que ache que chegou no fundo do poço ... não desista ! Não duvide que assim como aconteceu com Jó no passado que foi privado de tudo que mais amava, mas perseverou e foi ricamente abençoado ... o mesmo pode se dar com você! Basta confiar, acreditar e perseverar!

(Lucas 6:38)

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Para Arthur e Cezilia

AMIGO É CASA

Amigo é feito casa que se faz aos poucos e com paciência pra durar pra sempre. Mas é preciso ter muito tijolo e terra, preparar reboco, construir tramelas. Usar a sapiência de um João-de-Barro, que constrói com arte a sua residência. Há que o alicerce seja muito resistente, que às chuvas e aos ventos possam então a proteger.

E há que fincar muito jequitibá e vigas de jatobá e adubar o jardim e plantar muita flor, toiceiras de resedás. Não falte um caramanchão, pros tempos idos lembrar, que os cabelos brancos vão surgindo que nem mato na roceira que mal dá pra capinar. E há que ver os pés de manacá cheinhos de sabiás. Sabendo que os rouxinóis vão trazer arrebóis, choro de imaginar.

Pra festa da cumieira não faltem os violões, muito milho ardendo na fogueira e quentão farto em gengibre aquecendo os corações.

A casa é amizade construída aos poucos e que a gente quer com beira e tribeira. Com gelosia feita de matéria rara e altas platibandas, com portão bem largo que é pra se entrar sorrindo nas horas incertas sem fazer alarde, sem causar transtorno.

Amigo que é amigo, quando quer estar presente, faz-se quase transparente sem deixar-se perceber.

Amigo é pra ficar, se chegar, se achegar, se abraçar, se beijar, se louvar, bendizer!

Amigo a gente acolhe, recolhe, agasalha e oferece lugar pra dormir e comer. Amigo que é amigo não puxa tapete, oferece pra gente o melhor que tem e o que nem tem. Quando não tem, finge que tem, faz o que pode e o seu coração é parte que nem pão!

(Capiba / Hermínio Bello de Carvalho)

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Chegou Segunda-Feira ... Que maravilha !!!

Domingo à noite, é só ouvir a música do Fantástico e bate aquela deprê. Reunião com o chefe, entrega de um trabalho, início de dieta e das aulas na academia ...

Vêm à mente todas as obrigações e os planos que foram postergados ou programados para o primeiro dia útil da semana, a segunda-feira. Se institutos de pesquisa como Ibope e Datafolha realizassem um levantamento sobre o dia mais detestado da semana, a resposta de mais de 99,9% dos entrevistados seria óbvia: Odeio segunda ... E sem margem de erro!

Exageros à parte, por que a segundona gera tanta aversão e ansiedade? Um dos motivos para tanto mau humor talvez esteja na mudança dos ponteiros do nosso relógio biológico, visto que, os horários geralmente são menos rígidos no sábado e no domingo. Não é à toa que a gente quebra a rotina nessas 48 horas: dorme mais do que de costume, come fora de hora ou mais tarde que o habitual sem falar nas "geladinhas" a mais.

Daí, chega a segunda-feira e o organismo tem de, numa curta fração de tempo, reajustar seus ponteiros para voltar à labuta cotidiana. É esse processo de readaptação, que está por trás do cansaço e da preguiça que pintam logo de manhãzinha.

Além do corpo, a mente sofre, principalmente em quem começa a antecipar de forma negativa a chegada da segunda-feira no almoço de domingo. Trata-se de uma atitude recorrente em quem está de mal com o trabalho, por exemplo seja porque não se dá bem com os colegas, seja porque o salário não compensa o esforço. A pessoa arruina seu domingão antes mesmo de a música do Fantástico ecoar na telinha à noite. Nesse caso, o importante é ficar no aqui e agora, curtir o momento!

Para evitar a antecipação dessas sensações, a dica é, antes de mais nada, procurar estímulos recompensatórios. Ok, o ambiente na empresa não está aquelas coisas, mas o cheque no fim do mês justifica carregar esse fardo, por exemplo. Em outras palavras, deve-se focar em algo positivo. Um psicólogo lembra que o fim de semana é uma espécie de libertação do
peso do cotidiano. E passa rápido!
Mas por que o trabalho tem de ser encarado de forma tão dura? E por que a gente só pode se sentir relaxado no sábado e no domingo?, ele pergunta. Cinema somente aos domingos também vira rotina, como a do trabalho, e a happy hour da sexta-feira. É preciso criar alternativas. Ver um filme na quinta-feira à noite, quem sabe ... Com equilíbrio, dá para criar outras rotinas e tornar a segunda- feira menos chata. (Mas eu continuo odiando as Segundas ... kkk)

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Obaaa ! Sexta-Feira ...

É, enfim chegou Sexta-Feira ...
E então? Já decidiu o que fará com seu final de semana? Olha que passa muito rápido hein! Eu decidi que quero estar bem, rodeado de amigos que amo. Decidi que quero ampliar minha adoração a meu Deus e Pai: Jeová. Decidi que quero estar com minha família que está sempre comigo! Decidi que quero rir, brincar feito criança .... Decidi que quero amar, viver, me entregar às coisas que realmente me impulsionam a enfrentar mais uma nova semana neste sistema de coisas que está perto do fim. Enfim ... decidi que quero ser feliz, mesmo que a felicidade seja relativa ou tenha esse período: o final de semana!
E você? Já decidiu como será o seu?
Abraços a todos que acompanham o blog e um ótimo final de semana à vocês! Aproveitem-no plenamente com as coisas que lhe dão real satisfação!

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Histórias mal resolvidas ...

"Todos os dias milhões de desconhecidos se deitam pensando no que deveriam ter feito, onde estão e com quem desejariam estar. Se você fez o que realmente quis fazer, se esta onde desejou estar, e se tem ao seu lado alguém para amar.

Então reconheça a graça com que foi presenteado. Eu agradeço todas as noites por em partes saber quem eu sou, e por ter ao meu lado um presente perfeito.

Histórias mal resolvidas talvez sejam as histórias que mais me chamam a atenção. Acho que todos nós temos um certo interesse por isso. Veja os filmes por exemplo:

O final feliz dura apenas alguns poucos minutos, e nem sempre vale o filme que o concebeu, então - o que nos prende ao filme inteiro?

Isso mesmo: A história mal resolvida.

A dor e a angústia do mocinho e da mocinha, quando algo os separa ou quando a vida inevitavelmente os arrasta para direções opostas ... E por que esse súbito interesse?
Quem nunca sofreu por uma história mal resolvida? Quem nunca perdeu o sono pensando no que faltou dizer? Quem depois de um bom tempo nunca ficou com a sensação de que o passado ainda cobra um tributo ou ao menos um esclarecimento?

Quem nunca teve sequer uma noite terrível?

"Se em certa altura tivesse voltado para a esquerda em vez de para a direita. Se em certo momento tivesse dito sim em vez de não, ou não em vez de sim. Se em certa conversa tivesse dito as frases que só agora, no meio-sono, elaborou ...

Se tudo isso tivesse sido assim, seria outro hoje, e talvez o universo inteiro seria insensivelmente levado a ser outro também. Mas não virei para o lado irreparavelmente perdido.

Não virei nem pensei em virar, e só agora o percebo. Mas não disse não ou não disse sim, e só agora vejo o que não disse. Mas as frases que me faltaram dizer naquele momento surgem-me todas agora: Claras, inevitáveis, naturais!
A conversa fechada concludentemente, a matéria toda resolvida ... Mas só agora o que nunca foi, nem será para trás, me dói, me angustia. "

sábado, 9 de agosto de 2008

Músicas que não paro de ouvir - Parte 3

Me perdoem os que não se ligam no bom e velho samba, mas ... quem não gosta de samba, bom sujeito não é. Ou é ruim da cabeça ou é doente do pé!
Brincadeiras à parte, sou do tipo eclético e que curte de tudo no quesito: música. Mas admito que o samba, principalmente o samba-rock me faz viajar.
Seu Jorge por exemplo sabe o que faz neste sentido e representa muito bem a comunidade.
Muitas músicas dele ou na interpretação dele, fazem minha cabeça, tais como: "Mina do condomínio", "Carolina", "Bola de Meia", "Diz que fui por aí", "Gafieira S/A", "Mada", "Pretinha", "Roda Viva", "Samba Que Nem Rita à Dora", mas destaco aqui:

"Burguesinha"

Vai no cabelereiro
No esteticista
Malha o dia inteiro
Pinta de artista
Saca dinheiro
Vai de motorista
Com seu carro esporte
Vai zoar na pista
Final de semana
Na casa de praia
Só gastando grana
Na maior gandaia
Vai pra balada
Dança bate estaca
Com a sua tribo
Até de madrugada ...
Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha
Só no filé

Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha

Tem o que quer

Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha

Um croassaint

Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha

Suquinho de maçã

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Músicas que não paro de ouvir - Parte 2

Vanessa da Mata é outra cantora que dispensa comentários, sem sombra de dúvidas! Canta demais essa menina. Quem teve a oportunidade de vê-la com Charlie Brown Júnior no Estúdio Coca-Cola, gostou demais da mistura das músicas e estilos de ambos. As minhas preferidas na voz dessa morena: "Minha herança: Uma flor", "Boa Sorte", "Ai, Ai, Ai", "Amado", "História de uma gata", "absurdo", "Ainda bem". Mas uma em especial não sai do meu MP4, chama-se: Música!

MÚSICA


Nosso sonho se perdeu no fio da vida. E eu vou embora. Sem mais feridas. Sem despedidas.

Eu quero ver o mar. Eu quero ver o mar. Eu quero ver o mar!


Se voltar desejos, ou se eles foram mesmo... Lembre da nossa música, Música.

Se lembrar dos tempos, dos nossos momentos ... Lembre da nossa música, Música!


Nossas juras de amor, Já desbotadas.

Nossos beijos de outrora foram guardados.

Nosso mais belo plano desperdiçado.

Nossa graça e vontade derretem na chuva.


Se voltar desejos, ou se eles foram mesmo ... Lembre da nossa música, Música!

Se lembrar dos tempos dos nossos momentos ... Lembre da nossa música, Música!


Um costume de nós fica agarrado.

As lembranças, os cheiros. Dilacerados.

Nossa bela história está no passado.

O amor que me tinhas era pouco e se acabou!


Se voltar desejos ou se eles foram mesmo ... Lembre da nossa música, Música!

Se lembrar dos tempos, dos nossos momentos ... Lembre da nossa música, Música.

Músicas que não paro de ouvir - Parte 1


Roberta Sá foi uma de minhas mais belas descobertas, essa moça canta muito gente, vocês não têm noção. 

Entre sua muitas interpretações eis minhas preferidas: "Samba de um minuto", "Obstinada", "Janeiros", "Essa Moça tá diferente", "Laranjeira", "Chega de Saudade", "Interessa", "A vizinha do lado" e por aí vai.

Quero destacar uma em especial que é de autoria de Geraldo Pereira, intitulada: "Falsa Baiana" que ficou ótima na voz desta cantora.

Falsa Baiana

"Baiana que entra na roda e só fica parada.
Não canta, não samba, não bole nem nada.
Não sabe deixar a mocidade louca. 

Baiana é aquela que entra no samba de qualquer maneira.
Que mexe, remexe, dá nó nas cadeiras.
Deixando a moçada com água na boca."

A falsa baiana quando entra no samba ninguém se incomoda. Ninguém bate palma, ninguém abre a a roda. 
Ninguém grita: Oba, salve a Bahia, Senhor!

Mas a gente gosta quando uma baiana quebra direitinho.
De cima embaixo revira os olhinhos ... 
E diz eu sou filha de São Salvador! "

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Meu Pálio

Cada vez que penso que estou terminando de pagar meu carrinho fico mais feliz! Só não estou completo devido ao fato de após 33 parcelas ainda não tê-lo desfrutado da maneira que desejaria. 

Acontece que por 2 vezes fui reprovado na Prova Prática por banalidades. Infelizmente no Brasil, o índice é alto de pessoas que se sujeitam a "pagar" por uma carta de habilitação por fazer desta uma opção mais rápida. 

Mas a eficácia muitas vezes a curto prazo disso, gera mais acidentes, mais motoristas despreparados e muito mais vítimas da ganância de pessoas que somente pensam no lucro rápido. 

Minha tristeza mistura-se com indignação em alguns momentos, pois fica claro muitas vezes a imposição feita por tais autoridades para fazer o chamado "esquema" e no final do percurso ter a certeza da tão sonhada carteira nacional de habilitação.

Em contrapartida, no entanto, durmo com a consciência tranquila apesar de por mais esta vez não ter a oportunidade de tirar meu "poizé" da garagem. 

Pois apesar de tudo continuo exercendo algo que não tem muita valia neste sistema de coisas, mas que continua valendo para todo aquele que tem a Cristo por modelo: Honestidade Moral.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Carne de Língua

Uma lenda africana conta a história de um rei cuja esposa vivia triste, definhando. Um dia, ele nota que a mulher de um pobre pescador que morava próximo à corte era o próprio retrato da saúde e da felicidade.

Então, ele se dirige ao pescador:

- Como você consegue fazê-la tão feliz?

- É fácil, responde o pescador. Dou a ela carne de língua.

O rei imagina que agora tem a solução. Ele ordena que os melhores açougueiros do reino tragam língua para sua esposa, e passa a servir uma dieta reforçada. Mas suas esperanças são frustradas. Ela piora. O rei fica furioso, vai até o pescador e diz: 


- Vamos trocar de esposa . Quero uma mulher mais alegre.

O pescador é obrigado a aceitar a proposta, apesar de fazê-lo com muito pesar.

O tempo passa e, pouco a pouco, para a aflição do rei, sua nova esposa cai doente e definha a olhos vistos, enquanto sua ex-esposa, vivendo com o pescador, transpira saúde e alegria. Um dia, no mercado, ela passa pelo rei, que mal a reconhece. Ele fica impressionado: 


- Venha comigo !!!

- Jamais, e ela explica. Todos os dias, quando meu novo marido chega em casa, ele se senta comigo, me conta histórias, ouve as que tenho para contar, canta, me faz rir, me enche de vida.

Essa é a carne de língua, alguém que conversa comigo e dedica a atenção a mim. O dia inteiro mal posso esperar que chegue a noite.

Nota-se nesta estória que: sem atenção, não há gentileza, nem calor humano, nem proximidade, nem relacionamento.