English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Aprendizado ...


Fala pessoal, belezinha?

Existem momentos na vida em que é necessário excluir pessoas, apagar lembranças e jogar fora o que nos machuca.
Momentos para abandonar o que nos faz mal, nos libertar de coisas que nos prendem e olhar para frente a fim de enxergar a imensidão de caminhos disponíveis ao nosso redor, ao invés de insistir nos mesmos erros e nas mesmas dores.
E isso é tão importante, pois nos sobra tempo suficiente para aprender a cuidar de nós mesmos e principalmente cuidar de quem gosta da gente. Saiba valorizar quem realmente ama você, pois estes merecem todo seu amor e respeito.
Quanto ao resto?
Bom - ninguém nunca precisou de restos para ser feliz, não é mesmo? Cuide apenas daquilo que for verdadeiro e o que não for ... deixe passar, você não precisa disso!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Café & Açucar


Algumas vezes quando vamos tomar um cafezinho, temos uma desagradável surpresa: ele está amargo!

Então, depois da careta inicial, olhamos no fundo da xícara e observamos o açúcar, sim, ele estava lá bem no fundo – o tempo todo – era somente preciso mexer!

O mesmo se dá com nossa vida. Em alguns momentos, sentimos um gosto amargo e precisamos observar a situação, muitas vezes indo bem fundo em nossos sentimentos e emoções e mexer com o que está parado.

Às vezes nos falta coragem para fazer isso e protelamos o óbvio, por vivermos fazendo caretas, frente a tudo e a todos. Permita-se, ao invés disso, transformar-se por “mexer” nas coisas boas que estão dentro de você, coisas que somente você é capaz de realizar quando acredita em si mesmo.

Torne sua vida tão deliciosa, intensa e marcante quanto as melhores delícias que já provou.”

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O amor e suas dores


A dor de não amar será como o veneno da serpente que mata assim, de repente? Não, a dor de quem não ama é fria morte lenta. É um afogar-se em degelos glaciais e, dia a dia, sentir o coração parando aos poucos, até o ser inteiro se desfazer em transparências. 

Ah ... mas a alegria de amar é tão diferente! 

É mergulhar no riso mais contente, morder um chocolate que se dissolve na língua saborosamente, ora doce, ora amargo, mas sempre surpreendente! 

E mesmo o amor não correspondido é preferível ao inexistente, pois a dor de não ter a pessoa amada, ainda que seja dor profunda, desesperada ... ao menos mantém a alma quente!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Enfim ... Setembro!



Atravessamos Agostos que parecem eternos e, nos Setembros, suspiramos quase leves outra vez: 
"Meu Deus, passou!"